Diferentes cores e odores podem diferenciar um corrimento vaginal de uma menstruação comum

Ao contrário do que muitas mulheres acreditam, a lista de fatores capazes de diferenciar um corrimento vaginal de uma menstruação comum é extensa e, em primeiro plano, pode englobar as diferentes viscosidades, cores e odores entre uma atividade e outra. Isto é, enquanto a menstruação se caracteriza por ser uma resposta natural do organismo feminino e que normalmente não possui cheiro ou coloração específica, o mesmo não necessariamente acontece com relação aos corrimentos.

De maneira exemplificada, os corrimentos que possuem colorações mais esbranquiçadas, transparentes ou amareladas, de fato, precisam ligar o sinal de alerta por parte de todas as mulheres que imaginam sofrer com o problema. No que diz respeito aos sinais de corrimento, a lista com os principais deles é composta pelos seguintes tópicos:

  • Elevação do volume do conteúdo vaginal;
  • Transformação da coloração do corrimento de branco-transparente para tons mais amarelados e/ou escuros;
  • Observação de odores durante ou após os ciclos menstruais.

Sintomas de corrimento

Os principais sintomas de corrimento podem ser representados pelas frequentes coceiras que as mulheres podem sentir em suas vaginas e vulvas. Além disso, ardores não-característicos também podem ser sinônimos do problema. Por fim, dores pélvicas, incômodos ao urinar e sensações ruins ao longo das relações sexuais também podem se apresentar como sintomas capazes de confirmar a presença do corrimento.

A fundamental presença do ginecologista e os fatores de risco da doença

Assim que os sintomas do corrimento forem percebidos, a procura por um ginecologista de confiança deve ser imediata. Atrelado a isso, também é primordial que as mulheres saibam quais são os fatores de risco por trás da doença. Nesse caso, os mais destacados deles são exemplificados pelas relações sexuais sem qualquer tipo de proteção, pela diabetes não-controlada e, por fim, a mesma regra se estende à menopausa.

Agora que você conhece alguns detalhes a respeito do corrimento, clique aqui e agende sua consulta com um médico especialista no tratamento da doença.

 

 

 

Facebook Comments

Posts Relacionados

Deixe o seu comentário